0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

⟳ Atualizada em: 03/11/2021 10:08

José Luiz Datena decidiu deixar o PSL e migrar para o PSD, partido comandado por Gilberto Kassab. O apresentador tem comunicado sua decisão a amigos.

A decisão de José Luiz Datena de trocar o PSL pelo PSD atende ao plano do presidente do PSD, Gilberto Kassab, de montar palanques estaduais sólidos e, assim, dar musculatura à pré-candidatura do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), ao Palácio do Planalto. A entrada de Datena no partido ampliou a expectativa pela filiação do ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin, de saída do PSDB, que deseja voltar ao Palácio dos Bandeirantes nas eleições de 2022.

Foto: Divulgação.

Pelo desenho do PSD, Alckmin seria o candidato ao governo paulista, com o ex-governador Márcio França (PSB) de vice. Já Datena seria lançado a senador. Se o apresentador, contudo, desistir de entrar na política, como fez nas últimas três eleições, o “plano B” de Kassab para o Senado é o presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf.

Datena resolveu mudar de legenda nesta terça-feira por estar insatisfeito com os rumos tomados pelo PSL na fusão com o DEM. As siglas aguardam aval da Justiça para formar o União Brasil. Lançado pré-candidato à presidência pelo PSL, o apresentador não “engoliu” recentes declarações do presidente da legenda, Luciano Bivar, de que também consideraria outros nomes para o Palácio do Planalto, como o ex-juiz da Lava Jato Sérgio Moro.

Em junho, Datena foi lançado pelo PSL como pré-candidato à Presidência. Em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo em outubro, no entanto, Luciano Bivar, presidente da sigla que está em processo de fusão com o DEM para formar a União Brasil, disse que precisaria conversar com a cúpula do novo partido para decidir o que fazer em relação ao tema.

Datena falou , em setembro, que a decisão sobre o cargo ao qual se candidatará vai depender da performance em pesquisas eleitorais. Na época, havia sido convidado a se filiar ao PDT como vice de Ciro Gomes.

Esta não é a primeira vez que Datena considera concorrer a um cargo eletivo na política. Até então, todas as vezes que esboçou disputar uma vaga acabou desistindo.

Em 2016, filiado ao PP, desistiu de tentar se tornar prefeito de São Paulo, quando Doria foi eleito em primeiro turno e derrotou o petista Fernando Haddad. Em 2018, Datena desistiu então de disputar o Senado pelo DEM 12 dias após anunciar a pré-candidatura.

Em 2020, filiado ao MDB, seria o vice na chapa encabeçada por Bruno Covas (PSDB), que foi eleito prefeito de São Paulo no pleito.

Post Anterior

Palmas é uma das 7 capitais que estão preparadas para receber o 5G

Próximo Post

Regra do Fundeb vira entrave de R$ 125 bi para governos que venderam folha salarial