Home»Crônicas»Crônica: Miragem – Por Savick Brenna

Crônica: Miragem – Por Savick Brenna

Atualizada em: 24/10/2018 14:31

0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

Queria me lembrar da hora em que eu perdi o controle de toda a situação, do momento exato em que eu deixei de ser o mundo para quem me considerava tão inalcançável. Sempre tive essa impressão, de que eu sou uma pessoa extremamente mais interessante no início de qualquer relacionamento.

Quando eu sou apenas uma ideia na mente alheia, eu sou a mulher incrível e perfeita que qualquer um desejaria ter por perto, no entanto, a realidade é que quando há convivência, eu perco toda aquela graça do início. É nisso que os homens me fizeram acreditar até hoje.

Quem vê esse delineado bem alinhado e preciso, nem imagina que por trás se esconde toda a minha versão desalinhada, desajeitada e abarrotada de imperfeições. São poucos aqueles que permanecem depois de descobrir que a “mulher incrível” é na maioria das vezes, uma completa neurótica. Já pensei em andar por aí com uma placa na testa com a palavra LOUCA, mas assim eu não me daria nenhuma chance de redenção, melhor tentar outro plano.

Talvez a culpa seja dos covardes que correram e a quem eu sou tão grata por não terem ficado para suportar tanto. Nos intervalos entre ser a insana em tantas histórias, eu acabo surpreendendo e volto a ser a tal mulher incrível que desperta interesse. Provavelmente essa seja a minha isca para fisgar os desinformados.

Se é para viver com medo de mostrar quem sou de verdade por trás de toda essa “sanidade”, prefiro ser só. Às vezes é mais interessante ser aquele ser intocável e perfeito na mente dos outros, do que ser decifrada e deixar que essas pessoas te façam acreditar que você só é incrível quando não é descoberta. Quero gente que me ache linda pela manhã, sem maquiagem, com marcas de lençol pelo rosto. Quero olhos de quem enxerga beleza onde nem sempre há. Quero quem saiba reconhecer que sou incrível até mesmo se eu resolver andar com a tal placa na testa. Alguém que saiba que eu não sou a vítima, e muito menos o monstro.

No dia em que alguém amar toda a minha intensidade, eu reconhecerei de longe que esta é a pessoa que merece a minha atenção, mas por enquanto vou vivendo minhas perfeitas versões na imaginação de terceiros.   

Post Anterior

Dependurando, terno, gravata e entrando na roda das brincadeiras

Próximo Post

Tocantins terá tropas federais durante o 2º turno das eleições em 8 municípios

Sem comentários

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *