Home»Agronegócio»Cresce número de devolução de embalagens vazias de agrotóxicos no Tocantins

Cresce número de devolução de embalagens vazias de agrotóxicos no Tocantins

Atualizada em: 09/01/2018 16:54

0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

De acordo com a legislação, o prazo para os agricultores realizarem a devolução das embalagens vazias de agrotóxico é de um ano a partir da data de compra do produto. Caso o agricultor não tenha utilizado todo o produto, o prazo pode ser estendido por mais seis meses. Em 2017, o número dessas devoluções cresceu no Tocantins. Segundo dados divulgados pelo Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias (InpEV), foram devolvidas 722,3 toneladas de embalagens, sendo que em 2016 esse número foi de 600 toneladas, o que significa um aumento de  22,1%.

Para que esse aumento fosse possível, a Agência de Defesa Agropecuária do Tocantins (Adapec) vem intensificando os processos de fiscalização nas propriedades rurais, conforme destaca Márcia Helena da Fonseca, vice-presidente da Adapec, que também ressalta a importância de alertar os produtores sobre o uso correto e seguro de agrotóxicos nas lavouras. Além disso, o projeto Recebimento Itinerante (RI) contribui para esse crescimento. “Este projeto configura uma importante ferramenta para o pequeno agricultor, que na maioria das vezes, por falta de recursos, distância e outros fatores, não realiza a correta destinação das embalagens de agrotóxicos”, destacou a vice-presidente. Em 2017, o número de embalagens devolvidas pelos 500 agricultores atendidos pelas ações do projeto foi 15.113, 39,2% a mais que em 2016, quando 10.856 recipientes vazios foram entregues pelos 400 produtores que eram atendidos nesse ano. 

“Para alcançarmos estes números, é preciso entender que nosso trabalho de fiscalização começa na autorização às revendas para comercialização dos produtos agrotóxicos, armazenamento nas lojas especializadas, nas propriedades sobre o uso correto do produto no campo e se estende até a destinação das embalagens nos postos ou centrais”, explica o responsável técnico pela ação de agrotóxicos da Adapec, Juliano Milhomem. Vale lembrar que as embalagens de agrotóxico vazias podem ser entregues nas duas centrais, localizadas nos municípios de Pedro Afonso e Silvanópolis e nos cinco postos, nos municípios de Araguaína, Tocantinópolis, Colinas, Gurupi e Lagoa da Confusão. Os comprovantes de devolução devem ser guardados por um ano, para caso de fiscalização. 

Post Anterior

Senso Brasil Agropecuário visita mais de 36 mil estabelecimentos no Tocantins

Próximo Post

Ex-presidiário é encontrado morto em lote baldio