0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

⟳ Atualizada em: 02/12/2021 15:09

Após período de expedição, Scot Consultoria divulga levantamento referente ao processo de confinamento bovino nacional. Ao todo, iniciativa visitou 191 propriedades, quantidade que representa 40% do total confinado no País.

De acordo com dados, o confinamento de gado cresceu 25,8% neste ano e, estima-se, que a atividade deva crescer ainda mais em 2022, com custos de nutrição mais comedidos e preços firmes da arroba.

Foto: Divulgação.

Ao pautar 2021, o crescimento mais robusto ocorreu em Goiás, onde a alta foi de 73,5%, para 494,6 mil cabeças.

Em Mato Grosso, o aumento foi de 54%, para 340,3 mil animais, e, em São Paulo, terceiro maior em volume, com 244,1 mil cabeças, o avanço foi de 15,5%.

Já o Rio de Janeiro foi o único Estado em que houve declínio em comparação com o ano passado, com queda de 17%, para um total de 2,66 mil cabeças.

Para o presidente da Scot Consultoria, Alcides Torres, pela primeira vez em 30 anos, formaram-se filas em boitéis, enquanto confinamentos de pequeno e médio porte ficaram vazios. Esses confinadores maiores conseguem ter mais escala e reduzir o custo da ração.

Então, os menores mandaram o gado para os maiores”, afirmou durante evento de encerramento da Confina Brasil. Fonte: Valor Econômico/Feed&Food.

Post Anterior

Governador Wanderlei Barbosa entrega novo núcleo de saúde ao 6° Batalhão de Palmas

Próximo Post

Há mais de 20 anos, Brasil é líder na produtividade agropecuária