0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

⟳ Atualizada em: 29/07/2022 14:49

Diante da possibilidade de derrota do presidente da República nas eleições desse ano, aliados de Jair Bolsonaro iniciaram uma ofensiva para emplacar a ideia da viabilidade de uma Proposta de Emenda Constitucional para conceder a ele e a outros ex-presidentes o cargo de “senador vitalício”.

O estratagema é simples: conferir a Bolsonaro e a outros um foro privilegiado ad eternum para que todos se livrem de eventuais punições após deixar a principal cadeira do Palácio do Planalto.

A proposta que chegou “mais longe” foi a PEC 18/2006, apesentada pelo então senador Gilvan Borges (MDB-AP). O texto foi apresentado na Comissão de Constituição e Justiça do Senado em abril de 2006, passou três anos para ter um relator  o senador Sérgio Guerra  e dormiu em berço esplêndido até janeiro de 2011, quando foi para o arquivo justamente por não ter tido seguimento

Post Anterior

Ataídes Oliveira deixou marca de apoio aos Conselhos Tutelares durante seu mandato no Senado Federal

Próximo Post

Conselho Temático da FIETO avalia impacto de medidas do governo no segmento industrial

Sem comentários

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.