0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

⟳ Atualizada em: 31/03/2021 14:12

O tenente-brigadeiro do ar Antonio Carlos Moretti Bermudez defendeu o papel das Forças Armadas como instituições de Estado ao se despedir, de seus liderados. Moretti afirmou que recebeu como “bom soldado” a decisão do presidente Jair Bolsonaro de exonerá-lo do comando da Aeronáutica e agradeceu àqueles que trabalharam ao seu lado para que a Força Aérea servisse ao povo brasileiro em todos os seus “chamados”. Em sua despedida, o comandante não citou o nome do presidente da República.

“Presto meu testemunho e gratidão pelos esforços desmedidos de todo efetivo da Força Aérea Brasileira, voando ou apoiando os que voam, para suprir logisticamente todas as regiões deste país com um único objetivo: salvar vidas”, ressaltou.

Foto: Divulgação.

O agora ex-comandante apelou aos integrantes da Aeronáutica que mantenham o ânimo elevado e acreditem na relevância de sua missão, “balizada pelos inarredáveis preceitos constitucionais”. Moretti, o general Edson Pujol (Exército) e o almirante Ilques Barbosa Junior (Marinha) deixaram o comando de suas respectivas forças nessa terça-feira, insatisfeitos com a saída de Fernando Azevedo e Silva do Ministério da Defesa. Bolsonaro queria maior engajamento político dos comandantes militares na defesa de suas ações e de seu governo.

“Portanto, prezados integrantes da Força Aérea, acreditem na relevância da nossa missão que, balizada pelos inarredáveis preceitos constitucionais, coopera para a soberania daquilo que nos cabe: o espaço aéreo”, disse.

Post Anterior

Mais 996 novos casos confirmados para Covid-19 são registrados no Tocantins e 25 óbitos

Próximo Post

Compras de ovos de chocolate: Procon orienta sobre direitos do consumidor e cuidados com a pandemia da Covid-19