0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

⟳ Atualizada em: 26/07/2021 16:46

Com o desgaste na relação com o STF (Supremo Tribunal Federal), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) pretende nomear o senador Ciro Nogueira (PP-PI) para o comando da Casa Civil na tentativa de também ter um novo interlocutor do Executivo com o Judiciário.

Em conversas reservadas, o presidente se queixou de movimentos recentes de ministros do STF, sobretudo contra a proposta do voto impresso auditável, e destacou que a entrada do senador no governo deve abrir um novo canal de diálogo com a Suprema Corte.

A avaliação é a mesma de aliados do senador, segundo os quais, além de ser conhecido por ser um hábil articulador político, Ciro construiu nos últimos anos uma relação de proximidade com ministros do Poder Judiciário, como Gilmar Mendes e Dias Toffoli.

Além disso, o presidente nacional do PP é considerado um dos padrinhos da indicação de seu conterrâneo Nunes Marques para a vaga de Celso de Mello, em outubro.

Nos últimos meses, assessores presidenciais vinham defendendo a necessidade de Bolsonaro viabilizar um canal de diálogo com o STF. Desde a demissão do general Fernando Azevedo do comando do Ministério da Defesa, em março, o Palácio do Planalto vem tendo dificuldades na relação com a Suprema Corte.

O ministro da Defesa, Walter Braga Netto, e o advogado-geral da União, André Mendonça, até tentaram uma aproximação, mas ela não foi bem-sucedida, na avaliação de ministros do próprio STF.

Com a dificuldade, o próprio presidente assumiu o papel de interlocutor e se reuniu por duas vezes nos últimos meses com o presidente da Suprema Corte, Luiz Fux. Na última reunião, Fux pediu a Bolsonaro que evitasse criticar publicamente integrantes do STF.

Em conversas com aliados, Ciro sinalizou que não pretende fazer grandes mudanças no quadro técnico da Casa Civil e que pretende melhorar a interlocução com as demais pastas da Esplanada dos Ministérios.

O senador já havia sido sondado no início do ano para um cargo ministerial. Na época, no entanto, ele recusou. Agora, segundo dois auxiliares presidenciais, ele já respondeu que aceita o convite.

Post Anterior

Senador Kajuru diz que “Centrão está no comando” do governo Bolsonaro

Próximo Post

Estudo diz que a vacinação AstraZeneca e Pfizer aumenta o nível de anticorpos Covid