Home»Destaque»Cerca de 40% dos motoristas de Uber decidem não transportar passageiros para rodoviária e aeroporto de Palmas em forma de prostesto

Cerca de 40% dos motoristas de Uber decidem não transportar passageiros para rodoviária e aeroporto de Palmas em forma de prostesto

Atualizada em: 09/10/2017 17:47

0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

Por Wanessa Sobreira

Cerca de 40% dos motoristas de Uber em Palmas decidiram não atender mais os usuários da rodoviária e do aeroporto da Capital.  O motivo, confirmado pelo presidente da categoria, Pedro Gabriel Malta, é em razão da fiscalização em que eles chamam de abusiva, com aplicação de multas por parte dos fiscais da Agência de Trânsito Transporte e Mobilidade de Palmas.

O presidente destaca que o “objetivo é chamar atenção da população palmense sobre os prejuízos em que os motoristas estão sofrendo. Após duas reuniões com representantes da prefeitura, a palavra final foi que os motoristas serão fiscalizados e multados. Ou seja, não tem dialogo”, pontua Malta.

Por enquanto, a categoria aguarda uma lei federal que autoriza o funcionamento deste serviço. Ainda segundo o presidente, os motoristas devem entrar com pedido de mandado de segurança ainda este mês por conta das fiscalizações em que eles intitulam de arbitraria.

“Teve situações que o motorista foi chamado e quando chegou no local, estavam agentes da ATTM, com o isso o motorista foi multado em R$ 130,00 reais e 7 pontos na carteira de habilitação”, afirma o presidente dos motoristas de Uber em Palmas.

Hoje são cerca de 220 motoristas de Uber na Capital. Denis Camilo, é motorista de Uber, conta que a paralisação é uma forma de protesto. “Estamos sendo coagidos assim como os passageiros que são fotografados constantemente. Essas atitudes tiram a opção de escolher dos passageiros. Não entendemos o motivo dessa pressão toda, já que a nossa renda fica aqui mesmo em Palmas”, destaca Denis.

Usuária

Raíra Carvalho, é representante comercial, e usa o aplicativo diversas vezes por semana. Para ela, a paralisação por tempo indeterminado de alguns motoristas de Uber para os passageiros da rodoviária e do aeroporto, será um enorme prejuízo.

“A gente sabe que o Uber oferece preços mais em conta assim como conforto aos usuários. Lembro que uma vez cheguei de viagem e precisei de transporte para chegar em casa, utilizei o Uber que ficou cerca de R$ 14,50. Em outro momento foi de táxi e o mesmo trajeto ficou cerca de R$ 50,00”, lembra Raíra.

Saiba mais

Em Palmas, o serviço de Uber começou a funcionar em Palmas no mês de março deste ano, mas ainda não estava regulamentado. Diversas situações envolvendo os motoristas de táxi e os funcionários de Uber já aconteceram.

A prefeitura chegou a emitir uma medida provisória e o decreto, mas os textos ainda não foram votados na câmara de vereadores.Em julho deste ano, a justiça chegou a negar o pedido de ação popular que questionava a fiscalização da atividade do Uber em Palmas. De acordo com a juíza, Silvana Maria Parfieniuk , da 4ª Vara da Fazenda e Registros Públicos, a atividade da prefeitura não se constitui ato que possa causar lesão ao patrimônio público municipal.

Os responsáveis pela ação popular recorreram da decisão.

Prefeitura responde

Em nota enviada, a prefeitura de Palmas diz que já tentou de todas as formas encontrar o responsável pela plataforma para tratar sobre os trâmites legais. Mas que ainda assim não se eximiu das responsabilidades. A prefeitura diz  também que será realizada fiscalização ostensiva, junto ao transporte irregular de passageiros diuturnamente. A nota detalha ainda as providências que foram tomadas sobre o assunto como:

– A regulamentação do serviço por meio da Agência de Regulação de Palmas;

– Emitiu notificação para a plataforma Uber por três vezes,.

Além disso, a prefeitura diz que o fato dos agentes acionaram os motoristas de Uber e aplicarem multas não procede, que inclusive os motoristas podem fazer a denúncia pelo CPF do solicitante junto à ouvidoria do município.

A nota finaliza, reforçando que o mercado está aberto a qualquer operadora de plataforma tecnológica que esteja com o interesse de instalar em Palmas desde que cumpra o que a lei prescreve.

Post Anterior

Ministério da Educação libera cerca de R$13 milhões em recursos para UFT

Próximo Post

Mônica Soares será uma das vocalistas da Rosas de Ouro em 2018