0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

⟳ Atualizada em: 14/03/2019 10:32

Não será mais a partir das 9 horas desta quinta-feira, 14, o julgamento do contador Allan Moreira Borges, 41 anos, acusado de matar a professora, Heidy Aires Leite Moreira Borges, em dezembro de 2014, em Palmas. Os advogados do acusado conseguiram o adiamento porque apresentaram ao juiz Jordan Jardim, 1ª Vara Criminal,  o argumento de que duas testemunhas eram imprescindíveis para a defesa de Borges e não foram localizadas para prestar depoimento no julgamento. 

Uma das testemunhas é um perito que participou das investigações, mas já se aposentou e mudou de endereço. A outra, mora em São Paulo. O juiz determinou que o julgamento seja incluído na próxima data disponível do tribunal do júri. Desta forma, o júri popular ficou marcado para 18 de junho, às 9 horas. 

Leia mais sobre o caso. 

Post Anterior

Ações de prevenção da raiva nos territórios indígenas são discutidas pela Adapec e Secretaria de Saúde

Próximo Post

Assembleia Legislativa: audiência pública discutirá nesta quinta MP que congela salários dos servidores