0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

⟳ Atualizada em: 11/06/2019 16:59

Se nós estamos em constante mudança, a casa ou apartamento onde vivemos, e que reflete o nosso estilo e momento de vida, não é diferente. Pensando nisso, a arquiteta Juliana Sabbatini dá algumas boas dicas na hora de se pensar um projeto de interiores que permita a renovação de ambientes com praticidade, que foram utilizadas em seu projeto do decorado do Suprême Du Parc em Palmas

Você olha para suas paredes e cansa do que vê? Se incomoda com os móveis onde eles estão? Já não aguenta a cor da cortina na sua sala? Precisa de mais ou de um novo espaço? Calma, você não está tendo uma “DR” com sua casa, mas sim sentindo a necessidade natural de mudanças. Um novo trabalho, um novo relacionamento, um novo membro na família, um nova decisão para a saúde, ou só uma nova fase da vida, não importa o motivo, mudar é preciso, mas quando se trata da decoração não precisa ser tão trabalhoso quanto se imagina.

É o que diz a arquiteta Juliana Sabbatini, que dá algumas dicas simples na hora de se pensar um projeto de interiores, facilitando a renovação da sua casa sem muito trabalho e gastos. Muitos desses truques, a profissional usou em seu mais recente trabalho: o decorado do Suprême Du Parc, empreendimento da Elmo Incorporações, que está sendo construído em frente a um dos mais famosos e belos cartões postais da capital tocantinense, o Parque Cesamar. “A decoração de uma casa ou apartamento não precisa e nem deve ser estática. Ela pode estar sempre mudando, principalmente porque ela tem que ter a personalidade e muitas vezes traduzir a fase da vida de quem usufrui de um determinado ambiente”, defende a arquiteta.

A primeira dica Juliana é o uso predominante das cores claras, especialmente nas paredes e nos móveis maiores, o que facilita adição de cores no ambiente por meio de objetos, como quadros, esculturas, plantas ou outros ornamentos. “A decoração do mobiliário em tons pastéis permite que as cores mais fortes e vivas sejam trabalhadas nos adornos, acessórios como almofadas e até em papéis de parede”, afirma a arquiteta.

“No decorado do Suprême Du Parc, por exemplo, usamos almofadas em tons azuis de propósito para dar vida à sala. O uso do verde na vegetação e arranjos também tem essa função”, explica a juliana, para quem os tons pastéis são mais versáteis e mais “receptivos” à adição de cores, além de deixar o ambiente maior e mais convidativo.

Papel de parede

Segundo a arquiteta, imprimir mais cor nos ambientes por dos acessórios, ou de outros elementos como as plantas facilitará qualquer mudança. “Quadros, enfeites, plantas são coisas fáceis de ser trocadas de lugar ou mudadas. Alguns ajustes certos e você em pouco tempo e sem gastar quase nada pode ter uma sala ou um quanto renovados. E se quiser uma mudança maior pode alterar o mobiliário de lugar ou aplicar um revestimento na parede”, sugere a arquiteta.

Aliás, de acordo com Juliana Sabbatini, o uso de revestimentos, como o papel de parede, é sempre uma boa opção quando se quer mudar a cara de um ambiente, sem ter muito trabalho e despesas. “É uma alternativa versátil, mais rápida e barata para alterar a cor de uma parede”, diz a arquiteta. Mas ela dá uma dica importante para não errar na mão na hora de escolher o revestimento. “Se for usar em todas as paredes do ambiente, é preferível uso de papéis com tons mais claros e estampas discretas, caso contrário pode deixar o ambiente muito chamativo e criar um desconforto visual”, explica Juliana. Mas se for um quarto infantil, a arquiteta pondera é possível brincar mais com estampas e cores mais alegres.

Funcionalidade

As modernas plantas dos apartamentos, conforme explica Juliana, facilitam a criação de projetos que permitem uma maior mobilidade visual nos ambientes que hoje em dia são cada vez mais integrados e harmoniosamente conexos uns aos outros. Segundo a arquiteta, os espaços e os móveis estão cada vez mais funcionais, se adaptando a esta ou aquela necessidade do morador.

Ela exemplifica que no caso do decorado do Suprême Du Parc, a funcionalidade está presente na composição e disposição do móveis, estrategicamente alocados para aproveitar essa integração dos espaços. “Temos uma grande área de convivência que abrange sala, varanda e cozinha. Os espaços, apesar de integrados precisavam ter suas funções claramente definidas e delimitadas. Fizemos isso por meio da disposição do mobiliário e da escolha da iluminação correta. E mudanças podem ser feitas para se ter mais ou menos espaços num determinado ambiente, só mudando algum móveis de lugar”, explica Juliana Sabbatini.

Parque

No projeto do Suprême Du Parc Juliana revela que a privilegiada localização do empreendimento é um outro elemento importante que agregou à composição da decoração.

De frente a um dos mais belos cartões postais de Palmas, o Parque Cesamar, os apartamentos do residencial terão emoldurados essa magnífica paisagemnuma generosa varanda de 21 m² de área, que segundo Juliana, sempre trará um cenário diferente, seja diariamente, com o nascer ou o pôr do sol; ou em épocas diferentes do ano, como no verão ou inverno. “Para mim, a vista é a grande estrela do projeto”, considera a arquiteta.

Post Anterior

Reeducandos do Barra da Grota finalizam curso de panificação e conquistam a oportunidade de trabalhar

Próximo Post

Prefeita Cinthia Ribeiro garante apoio à Fenepalmas

Sem comentários

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *