0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

⟳ Atualizada em: 26/05/2022 05:45

Com 403 votos a favor e 10 contrários, o plenário da Câmara aprovou há pouco o texto-base do projeto de lei que estabelece um teto de 17% nas alíquotas de ICMS sobre combustíveis, telecomunicações, energia e transportes públicos. Agora, os parlamentares analisam os chamados destaques, que são pedidos de modificação no texto.

Segundo integrantes do governo, a limitação da alíquota do ICMS poderá causar uma redução de 9% a 12% na gasolina, de 10% no etanol, e de 11% na conta de energia. Estados e municípios não concordam com a proposta. Os governadores calculam perdas da ordem de R$ 83,5 bilhões; os municípios temem perder R$ 21 bilhões.

Essa compensação será a partir de descontos nas parcelas das dívidas do estados com a União.

A aprovação da matéria ocorre na semana em que Jair Bolsonaro trocou, pela terceira vez, o comando da Petrobras  buscando justamente conter a alta descontrolada de preços. Como temos mostrado, o presidente da República teme que os sucessivos aumentos impactem negativamente em seu projeto de reeleição.

Post Anterior

Governo pode liberar até R$ 50 bi para micro e pequena empresa

Próximo Post

Cidade de Peixe no Tocantins, quer conceder praia à iniciativa privada por três anos