0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

⟳ Atualizada em: 27/05/2022 17:55

Os brigadistas da Capital participaram nesta sexta-feira, 27, de treinamento realizado na Arse 52, ao lado do Parque Cesamar com técnicas de prevenção e controle do fogo e ainda simulação de incêndio. A capacitação contou com 12 brigadistas, que prepararam a área antes do procedimento e em seguida exercitaram técnicas de contenção, como linha de controle, aceiro negro, contrafogo e manejo integrado do fogo (MIF).

O manejo integrado do fogo (MIF) é uma técnica que propõe o uso de queimadas controladas antes do período de seca para garantir a conservação e o uso sustentável de ecossistemas. No entanto, existem outras técnicas que devem ser aplicadas quando acontece um incêndio inesperado, e que devem ser tomadas e avaliadas conforme cada situação. “‘Além do manejo integrado do fogo, existem outras técnicas que aplicamos quando nos deparamos com um incêndio florestal, como combate direto, aceiro negro, ou contrafogo, ou seja, colocar fogo na direção contrária, para acabar com o material enegético, e cada técnica depende das características daquele momento, como vento forte e vegetação, por exemplo”, disse o superintendente da Defesa Civil do Município, Bruno Maciel.

Bruno Maciel explica que as técnicas de prevenção e controle do fogo podem reduzir a extensão das áreas queimadas por incêndios criminosos e a emissão de gases de efeito estufa. “O incêndio danifica muito a vegetação, através do manejo o impacto é bem menor, conseguimos destruir o mato e manter a vegetação local intacta, pois se trata de fogo com baixa energia comparado com um incêndio de verdade”, disse.

“Parece irônico, mas uma das melhores estratégias para prevenir é justamente a queima controlada, que quando feita na época certa, permite ter controle sobre o fogo. A queima prescrita, como é chamada esta técnica, é apenas um dos aspectos do manejo integrado do fogo (MIF), abordagem ampla que promove a integração do conhecimento científico e tradicional e prevê estratégias tanto de prevenção quanto de combate ao fogo”, completou Bruno Maciel.

A brigadista Bruna Carolina Souza, com dois anos de experiência, destacou a dureza do trabalho, mas também a satisfação de atuar na prevenção e combate às queimadas em prol de um bem maior. “Exige resistência e muito treinamento, principalmente neste período que começa a temporada de fogo, mas nosso foco é trabalhar forte para evitar que o fogo avance, prejudicando a natureza e a saúde das pessoas, inclusive das crianças”, disse.

Comitê

O treinamento é mais uma ação do Comitê Municipal de Prevenção, Controle e Combate à Incêndios Florestais e Queimadas Urbanas (PrevIncêndio), composto pela Fundação Municipal do Meio Ambiente (FMA), Secretaria Municipal de Segurança e Mobilidade Urbana (Sesmu), através da Guarda Metropolitana Ambiental (GMP) e Defesa Civil e também pelas Secretarias Municipais de Infraestrutura e Serviços Públicos, de Saúde e de Educação.

Post Anterior

Batalhão realiza a entrega da boina e condecoração em solenidade alusiva ao dia da infantaria

Próximo Post

Empresários do trade turístico de Taquaruçu foram recebidos pelo gestor das Pasta Sedem e Agtur