0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

⟳ Atualizada em: 26/11/2020 19:21

Quatro viaturas do Corpo de Bombeiros Militar atuaram no combate ao incêndio que destruía uma carreta e a carga de algodão nesta última quarta-feira, 25. O trabalhou durou horas, devido à natureza da carga que queimava em seu interior. Para não perder a cavalinho, o motorista precisou desacoplá-lo a tempo. O incêndio aconteceu cerca de 4 km de Palmas, na TO-020, em direção à cidade de Aparecida do Rio Negro.

A carreta tem placa de Americana – SP, e era conduzida por Elias Martins dos Santos, de 51, que acionou os bombeiros militares por volta das 14h30.

O algodão que formava a carga estava em fardos. Colocados uns sobre os outros na carreta, eles ficaram compactadas e isso dificultou o combate às chamas. “Com o fardo compactado, a queima é lenta e fica na parte interna, devido a ter pouco oxigênio entrando. É diferente da madeira que queima superficial e mais rápido”, explicou o tenente Basílio de Moura Neto, que acompanhou parte das ações.

Uma máquina escavadeira hidráulica foi usada no auxílio ao combate, esparramando os fardos e o próprio algodão, permitindo o sucesso dos bombeiros militares que jogavam água por meio de caminhões de combate.

A carga de algodão foi parcialmente destruída, enquanto o semirreboque da carreta ficou danificado. O trabalho foi parcialmente concluído pouco após às 18h, visto que as equipes de combate permaneceram atentas, com uma delas voltando ao local tempo depois, para verificar se o fogo havia retomado.

A chamada reignição ocorreu já na manhã desta quinta, 26, por volta das 7h, com os bombeiros militares retornando ao local. Mais uma vez a escavadeira hidráulica foi usada, remexendo o algodão e permitindo o completo rescaldo. O motorista não teve ferimentos.

Post Anterior

Ageto realiza obras de melhorias de rodovias que dão acesso ao Jalapão

Próximo Post

31,6 milhões de trabalhadores atuavam na informalidade no 3º trimestre