0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

⟳ Atualizada em: 23/07/2022 20:11

O presidente Jair Bolsonaro (PL) será o 1º chefe do Executivo a disputar a reeleição com uma “chapa pura”, aquela formada por nomes do mesmo partido. Escolhido como o número 2 da chapa, o general Walter Braga Netto se filiou ao PL em março.

Bolsonaro também será o 1º desde 1998, quando a reeleição foi permitida, a trocar o candidato a vice-presidente antes de tentar se manter no poder por mais 4 anos. Fernando Henrique Cardoso, do PSDB, Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, do PT, repetiram os nomes de seus vice-presidentes quando disputaram o 2º mandato. O atual vice-presidente, Hamilton Mourão (Republicanos), deve disputar cargo no Senado pelo Rio Grande do Sul.

Bolsonaro também é o 1º chefe do Executivo a trocar de partido entre uma eleição e outra. Uma troca do tipo já havia ocorrido para o cargo de vice: José Alencar, segundo nome na chapa de Lula, trocou o PL pelo PRB ao disputar mais um mandato. Além do PL, Bolsonaro já foi filiado a outros 8 partidos.

A reeleição para quem ocupava cargos no Poder Executivo em todos os níveis de governo foi autorizada por meio de uma emenda constitucional de 1997. A medida beneficiou todos que já exerciam mandatos à época, como prefeitos, governadores e o então presidente da República, FHC.

CHAPAS PURAS

As chapas de um mesmo partido são comuns em siglas menores. Uma composição do tipo chegou ao 2º turno em 2014, quando os candidatos Aécio Neves e Aloysio Nunes disputaram o Palácio do Planalto pelo PSDB.

Já as chapas com partidos diferentes são mais comuns, usadas para firmar alianças e articulação política de modo a garantir mais votos e apoios no Legislativo. O chefe do Executivo tem, até o momento, aliança firmada do PL com o Progressistas, de seu ministro-chefe da Casa Civil, Ciro Nogueira. O Republicanos também apoia a chapa pela reeleição de Bolsonaro. O antigo PRB era partido do vice-presidente de Lula, José Alencar, e já fez parte da coalizão liderada pelo PT. 

A chapa petista tem o ex-governador Geraldo Alckmin como vice. Ele se filiou ao PSB depois de 33 anos no PSDB, sigla que ajudou a criar em 1998. Ex-rival de Lula, Alckmin tem como papel na chapa puxar a candidatura do ex-presidente mais para o centro, além de intermediar o diálogo com empresários.

Além de Bolsonaro, outras chapas avaliam lançar uma dobradinha com nomes do mesmo partido. O PDT cogita lançar uma mulher como vice de Ciro Gomes na disputa pela Presidência da República em caso de a chapa ser 100% do partido. O nome do pedetista foi confirmado em convenção partidária na 4ª feira (20.jul), mas a escolha do vice ficou para 5 de agosto.

Em maio, o presidente do União Brasil, Luciano Bivar, também anunciou que o partido deve lançar uma chapa pura para a Presidência.

Desde de 1998, Bolsonaro foi o 1º estar em desvantagem nas pesquisas de intenção de voto a 1 ano das eleições. Ele está em 2º lugar nas pesquisas de intenção de voto, atrás de Lula.

Post Anterior

OMS declara emergência de saúde global para varíola dos macacos

Próximo Post

Ciro defende renovação da Câmara para “diminuir o número de bandidos”

Sem comentários

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.