0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

⟳ Atualizada em: 28/04/2022 18:30

Sob vaias e gritos de “mito”, o presidente Jair Bolsonaro (PL) participou nesta 5ª feira (28.abr.2022) de evento com vereadores em Brasília. O chefe do Executivo ouviu aplausos e também gritos em defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) enquanto discursava.

Bolsonaro participou da 21ª Marcha dos Legislativos Municipais nesta 5ª feira. No evento, o presidente fez breve discurso em que afirmou defender a causa municipalista. Ele mencionou ter sido vereador no início de sua carreira política.

“O nosso município é o Brasil. Cada vez mais em nosso governo nós levamos as políticas para os municípios e para os Estados, local onde realmente vocês conhecem a necessidade do nosso povo”, disse.

O chefe do Executivo também falou sobre repasses do governo federal para os municípios durante a pandemia. “Bem, demonstramos por ocasião da pandemia que tratamos da mesma forma todos os Estados e todas as cidades do nosso Brasil independente da coloração partidária reinante naquela região. Servimos a todos”, afirmou.

Ao final do discurso do presidente, parte dos participantes do evento gritou “miliciano, miliciano”. A fala de Bolsonaro durou cerca de 4 minutos. Ele desceu do palco e cumprimentou vereadores.

O evento é promovido pela UVB (União dos Vereadores do Brasil) e é realizado até 6ª feira (29.abr). Segundo a organização, participam da conferência 3.500 vereadores de todos os Estados. O tema do encontro deste ano é “O Brasil do Futuro passa pela Liderança e o Protagonismo do Legislativo Municipal”.

Na 3ª feira (26.abr), Bolsonaro participou de evento com prefeitos, em que defendeu a liberdade de expressão. Na ocasião, foi aplaudido.

O presidente Jair Bolsonaro foi vaiado e também aplaudido ao fazer breve discurso em evento com vereadores em Brasília

 

 

Post Anterior

Lira defende processo eleitoral: "Pensar diferente é colocar em dúvida a legitimidade de todos nós"

Próximo Post

Aliados de Lula usarão decisão de comitê da ONU para pedir indenização a Moro