0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

⟳ Atualizada em: 24/11/2021 10:39

O presidente da República Jair Bolsonaro (sem partido) criticou o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) por desmonetizar “página de pessoas que fazem qualquer crítica ao sistema eleitoral de votação”, em entrevista à rádio Correio nesta terça-feira, 22.

Ele também minimizou a censura durante a ditadura militar e disse que “nem se compara ao que está acontecendo agora”.

Foto: Divulgação/Internet.

O presidente fez críticas ao ministro do TSE, Luis Felipe Salomão, devido à sua decisão de desmonetizar páginas que fazem críticas ao sistema eleitoral, o que Bolsonaro classificou como um “absurdo”.

“Tem um abuso, não vou dizer do TSE, mas do corregedor e de alguns outros que acompanharam voto do relator”, disse.

As críticas ocorreram quando Bolsonaro voltou a defender o voto impresso e lembrou da decisão do presidente do TSE, o ministro Luís Roberto Barroso, de convidar instituições para participar do processo eleitoral, incluindo as Forças Armadas.

Ele afirmou que, por conta da participação do Exército na apuração dos votos, a “chance de fraude é muito pequena, quase inexistente”, mas que o “ideal” ainda seria o voto impresso.

Bolsonaro avaliou a decisão de Salomão como uma censura, que “não existia no período militar”. Disse que, muitas vezes, as matérias não tinham suas publicações permitidas.

“Por isso houve censura naquele momento lá, mas nem se compara ao que está acontecendo agora”, afirmou o presidente. Fonte: Poder 360.

Post Anterior

Exclusivo: governo terá que gastar quase R$ 100 bilhões para baixar combustível em R$ 1

Próximo Post

Bolsonaro bate o martelo e se filiará ao PL no dia 30 de novembro

Sem comentários

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *