0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

⟳ Atualizada em: 21/05/2020 14:36

O presidente Jair Bolsonaro anunciou nesta quinta-feira, 21, em reunião com governadores, sanção ao projeto de auxílio de 60 bilhões de reais a Estados e municípios.

Durante a reunião, da qual também participaram os presidentes do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), e da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), o presidente pediu apoio aos governadores ao veto referente ao aumento para servidores públicos.

Segundo o presidente, a cota de sacrifício dos servidores é não ter reajuste até 31 de dezembro do ano que vem.

Presidente Jair Bolsonaro em reunião com governadores. Foto: Divulgação.

De acordo com Bolsonaro, congelar reajustes na remuneração de todos os servidores públicos até o fim do ano que vem é o “remédio menos amargo” para o funcionalismo, “mas é de extrema importância para todos os 210 milhões de brasileiros”.

“Tivemos as mais variadas propostas, como por exemplo a redução de 25% dos salários. Em comum acordo com os poderes, chegamos à conclusão, que congelando a remuneração e os proventos dos servidores até o fim do ano que vem, esse peso seria menor, de extrema importância para todos nós”, afirmou.

Bolsonaro esclareceu que esse congelamento de salários não afetaria progressões e as promoções. “Elas continuarão acontecendo normalmente, não serão atingidas.”

Além dos chefes dos executivos estaduais, participam do encontro virtual, segundo a agenda divulgada pelo Palácio do Planalto, os ministros: Paulo Guedes (Economia), Fernando Azevedo (Defesa), Braga Netto (Casa Civil), Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo), Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional) e Jorge Oliveira (Secretaria-Geral).

Post Anterior

Tocantins contabiliza 1.976 casos confirmados da Covid-19 em 71 municípios

Próximo Post

Arrecadação federal cai 28,95% e tem pior abril da série histórica por coronavírus