0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

⟳ Atualizada em: 02/08/2022 19:41

O ministro do Supremo Tribunal Federal Luís Roberto Barroso respondeu, nas redes sociais, a acusações do presidente Jair Bolsonaro (PL), que o chamou de “criminoso” nesta terça-feira (2), e falou que “mentir precisa voltar a ser errado”.

“Mentir precisa voltar a ser errado de novo. Compareci à Câmara dos Deputados, como presidente do TSE, para debater o voto impresso, atendendo a três convites oficiais. E foi a própria Câmara que derrotou a proposta de retrocesso. Mas sempre haverá maus perdedores”, escreveu Barroso no Twitter.

A proposta defendida por Bolsonaro foi analisada na Câmara dos Deputados, mas não obteve os votos necessários para ser aprovada.

“Ele era presidente do TSE, foi para dentro do Parlamento e se reuniu com uma dezena de líderes e, no dia seguinte, vários líderes trocaram os integrantes da comissão de modo que eles votaram contra a PEC do Voto Impresso. Foi para o plenário, nós ganhamos, mas não conseguimos 308 votos [para aprovar a PEC]. Perdemos”, criticou o presidente.

“Então foi uma interferência direta do Barroso dentro do Congresso Nacional para não aprovar o voto impresso, uma interferência política, um crime previsto na Constituição. O Barroso é um criminoso”, acusou.

Post Anterior

Campanha de Bolsonaro quer pauta clara para 7 de Setembro e atos concentrados em três capitais

Próximo Post

Lira barra proposta do governo que enquadraria protestos políticos como terrorismo

Sem comentários

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.