0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

⟳ Atualizada em: 16/09/2021 16:41

Pesquisa PoderData realizada nesta semana (13-15.set.2021) mostra que a avaliação da população sobre a imagem do governo federal não mudou depois dos atos pró-Bolsonaro realizados no feriado de 7 de Setembro.

Segundo o levantamento, 62% desaprovam a administração bolsonarista, e 29%, aprovam. Os números eram de 63% e 27%, respectivamente, no estudo realizado 15 dias antes. Como a margem de erro é de 2 pontos percentuais para mais ou para menos, não houve variações significativas.

Milhares de pessoas saíram às ruas no Dia da Independência para manifestar apoio ao presidente da República. Em São Paulo e Brasília, locais com as maiores concentrações de manifestantes, Bolsonaro discursou e atacou o ministro Alexandre de Moraes, do STF (Supremo Tribunal Federal).

Com a temperatura alta e a repercussão negativa das declarações, o chefe do Executivo divulgou uma nota 2 dias depois em que afirma nunca ter tido “nenhuma intenção de agredir quaisquer dos Poderes”.

Mesmo depois do recuo e do momento difícil, com alta inflação e resistência na taxa de desemprego, o governo mantém cerca de 1/3 de apoio entre os eleitores.

Imagem: Reprodução.

A diferença entre aprovação e desaprovação diminuiu 3 pontos e ficou em 33%. Na rodada passada, era de 36% patamar recorde desde que o PoderData começou a fazer a pergunta a seus entrevistados.

Em agosto de 2020, Bolsonaro chegou a ter aprovação 12 pontos superior à desaprovação. O cenário favorável ao Planalto manteve-se até meados de novembro. Em 2021, o saldo foi consistentemente negativo.

Imagem: Reprodução.

Em relação ao trabalho pessoal de Bolsonaro, o quadro também é de estabilidade. Os que consideram o chefe do Executivo “ruim” ou “péssimo” são 56%, enquanto 27% o acham “ótimo” ou “bom“. Outros 14% dizem que o presidente é “regular“, e 3% não souberam responder.

Imagem: Reprodução.

Esta pesquisa foi realizada no período de 13 a 15 de setembro de 2021 pelo PoderData, a divisão de estudos estatísticos do Poder360. Foram 2.500 entrevistas em 411 municípios nas 27 unidades da Federação. A margem de erro é de 2 pontos percentuais, para mais ou para menos. Saiba mais sobre a metodologia lendo este texto.

Para chegar a 2.500 entrevistas que preencham proporcionalmente (conforme aparecem na sociedade) os grupos por sexo, idade, renda, escolaridade e localização geográfica, o PoderData faz dezenas de milhares de telefonemas. Muitas vezes, mais de 100 mil ligações até que sejam encontrados os entrevistados que representem de forma fiel o conjunto da população.

Imagem: Reprodução.

DESTAQUES DEMOGRÁFICOS: AVALIAÇÃO DE BOLSONARO

Os que têm de 25 a 44 anos (32% desse grupo), os que cursaram até o ensino médio (34%), os moradores da região Centro-Oeste (39%) e os que ganham até 2 salários mínimos (32%) são os que mais avaliam Bolsonaro como “ótimo” ou “bom“.

Já os com 60 anos ou mais (60%), os com ensino superior (70%), os moradores do Nordeste (67%) e os que ganham de 5 a 10 salários mínimos (67%) são os que mais rejeitam Bolsonaro.

DESTAQUES DEMOGRÁFICOS: AVALIAÇÃO DO GOVERNO

O gráfico a seguir estratifica os votos dos entrevistados. O Poder360 destaca:

sexo – 73% dos homens desaprovam o governo; entre as mulheres, taxa é de 52%;

idade – 68% dos que têm de 45 a 59 anos rejeitam a gestão federal; 38% dos de 25 a 44 anos aprovam;

escolaridade – 76% dos com ensino superior desaprovam o governo; 37% dos que têm até o ensino médio aprovam;

região – 75% dos moradores do Nordeste rejeitam a administração federal; 43% no Sul aprovam. Fonte: Poder 360.

Post Anterior

Bolsonaro manda ao Congresso plano de redução de incentivos e benefícios fiscais

Próximo Post

Governador Mauro Carlesse apresenta projetos para financiamento de obras do Tocantins a vice-presidente do Banco do Brasil