0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

⟳ Atualizada em: 21/02/2020 15:30

A audiência pública realizada pela Comissão de Minas, Energia, Meio Ambiente e Turismo da Assembleia Legislativa do Tocantins (Aleto), na última quinta-feira, 20, com representantes da BRK Ambiental, definiu algumas ações para proteção do reservatório da Usina Hidrelétrica Luiz Eduardo Magalhães.

O objetivo da audiência, a princípio, era obter esclarecimentos sobre a grande quantidade de algas dispersas no lago, decorrente do derramamento de esgoto sem tratamento adequado no Córrego Machado e no Ribeirão Taquaruçu, que desaguam no reservatório.

Convocada pela deputada Cláudia Lelis (PV), presidente da Comissão, atendendo a requerimento de urgência de autoria dos parlamentares Léo Barbosa (SD) e Ricardo Ayres (PSB), a audiência pública definiu algumas ações para proteção do reservatório.

Entre elas, a cobrança, por parte da Comissão de Minas, Energia, Meio Ambiente e Turismo, para que o Conselho Estadual do Meio Ambiente (Coema) aprove o plano elaborado pela Universidade Federal do Tocantins, com 40 ações para proteção do lago, envolvendo todos os municípios beneficiados por ele.

Outro indicativo importante foi a destinação de recursos, por meio de emendas parlamentares, para o laboratório de análises da água de do solo da Universidade Federal do Tocantins (UFT), a fim de que atue com independência e municie os órgãos de fiscalização e controle. Atualmente todo o serviço de análise da água que abastece a população de Palmas e das cidades servidas pela BRK é feita apenas pelo laboratório da própria empresa.

Audiência pública na Aleto. Foto: Koró Rocha.

Além dos diretores da BRK Ambiental, participaram da audiência, os deputados Leo Barbosa (SD), Ricardo Ayres (PSB), Elenil da Penha (MDB), Júnior Geo (PROS), Vanda Monteiro (PSL) e Luana Ribeiro (PSDB); representantes de órgãos públicos municipais e estaduais; do Ministério Público; Defensoria Pública; Secretaria da Segurança Pública; técnicos da área de meio ambiente e de associações de moradores da região sul de Palmas. (Assessoria da Aleto) 

Post Anterior

Secretaria municipal de saúde da Capital divulga balanço parcial da campanha de vacinação contra o sarampo

Próximo Post

Empresas de pulverização aérea de agrotóxicos são alvo de busca e apreensão em Lagoa da Confusão