0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

⟳ Atualizada em: 21/04/2021 14:02

A arrecadação de impostos e contribuições federais somou R$ 137,932 bilhões em março, alta real (descontada a inflação) de 18,49% em relação ao mesmo mês de 2020. Os dados foram divulgados nesta terça-feira, 20, pela Receita Federal

Essa foi a maior quantia para o mês de março desde 2000. A série histórica começou em 1995, mas o Fisco passou a detalhar melhor os impostos em 2000. Por isso, considera o melhor valor da história.

No 1º trimestre, a arrecadação chegou a R$ 450,328 bilhões bilhões, também o melhor resultado em 21 anos.

O resultado recorde é registrado no pior mês da pandemia de covid-19 em número de mortes. Estados e municípios adotaram medidas de confinamento social, o que impactou a economia em 2020.

Os ganhos tributários administrados pela Receita Federal em março somaram R$ 107,39 bilhões, o que representa uma alta de 18,15% em relação ao mesmo mês de 2020. A arrecadação de impostos não administrados pelo Fisco atingiu R$ 2,33 bilhões alta de 34,21%. Todas as comparações consideram a correção pela inflação.

POR QUE ISSO IMPORTA

Porque é um sinal de que há um represamento enorme da economia, que mesmo num momento de grande adversidade parece querer reagir.

Março foi o pior mês da pandemia no Brasil, com o maior número de mortes. Muitos Estados adotaram regras rígidas de distanciamento, fechamento de negócios e limitação da circulação de pessoas. O novo auxílio emergencial não estava ainda sendo pago. A arrecadação de impostos ter sido positiva é uma excelente notícia.

Post Anterior

Paulo Guedes diz que só gastos para preservar vidas e empregos ficarão fora do teto

Próximo Post

Homens com Covid têm risco seis vezes superior de sofrer de impotência

Sem comentários

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *