0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

⟳ Atualizada em: 08/04/2020 17:58

Os alimentos serão vendidos por feirantes no Mercado Municipal e o serviço irá funcionar nos mesmos horários das feiras presenciais, na sexta-feira, das 12 às 18 horas, e no sábado das 8 às 12 horas. Os pedidos serão feitos pelo WhatsApp (63) 9 9216 8352. O pagamento poderá ser feito em dinheiro ou com cartão, no momento da entrega.
 
“Nós organizamos um sistema de entrega no Mercado Municipal, em que o cliente pode pedir por telefone ou WhatsApp e a entrega será feita por um mototáxi, que cobrará 5 reais para toda a cidade. Outra opção é o cliente fazer a encomenda e passar na própria feira para buscar, sem descer do carro, no sistema drive-thru”, explicou o gerente regional do Sebrae, Joaquim Quinta Neto.

Os moradores de Araguaína, no norte do Estado, poderão comprar alimentos da agricultura familiar pelo telefone a partir dessa sexta-feira, 10. O modelo é uma alternativa para evitar aglomeração nas feiras livres e também para que pessoas comprem alimentos frescos, como frutas, legumes e verduras, sem sair de casa. A Prefeitura é parceira da ação realizada pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), e que ainda conta com apoio do Sindicato Rural de Araguaína (SRA).
 
“Essa é uma ação que ajuda vários impactados pela crise do coronavírus, o homem do campo, principalmente o pequeno produtor rural, os mototaxistas, feirantes e o cidadão comum, principalmente os acima de 60 anos que estão evitando sair de casa para não contrair o vírus”, afirmou o prefeito Ronaldo Dimas.
 
Além de promover o projeto, o Sebrae ainda oferecerá oficinas de atendimento e boas práticas com alimentos e também consultoria financeira para os feirantes e mototaxistas.

Os protocolos sanitários de distanciamento e higienização serão cumpridos na ação, inclusive com uso de máscaras. “A intenção inicial é promover os pequenos negócios, e acreditamos que adotando todas as medidas sanitárias exigidas pela prefeitura esse projeto poderá crescer cada vez mais, tendo continuidade após o término desse cenário de medidas de contenção”, pontuou Quinta Neto.
 
Para o presidente do SRA, Wagner Borges, a iniciativa irá disponibilizar ainda mais os produtos do campo. “É importante para o feirante e o pequeno produtor terem novas formas de comercializar os seus produtos. O produtor estava com muita dificuldade, parado sem ter renda. Esse sistema delivery é mais importante ainda para que a pessoa não entre em contato direto, a proximidade diminui bastante”.

Post Anterior

Senado aprova projeto para socorrer microempresas de relatoria da senadora kátia Abreu (PP-TO)

Próximo Post

ATM defende fiscalização em cumprimento aos decretos municipais de isolamento social