0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

⟳ Atualizada em: 13/02/2019 11:46

A Secretaria de Estado da Saúde (SES/TO) disse nesta quarta-feira, 13, que investigará todas as denúncias relacionadas à mortes no Hospital Geral de Palmas(HGP) e se tem relação com falta de medicamentos. Segundo nota encaminhada ao Portal Orla Notícias, “nenhum óbito foi confirmado por falta de algum medicamento”. 

A resposta foi apresentada depois de vistoria feita por integrantes da Defensoria Pública, Ministério Público Estadual, Polícia Civil e Conselho Regional de Medicina(CRM) na unidade, nesta terça-feira, 12, em razão de denúncia de que mortes de pacientes estariam relacionadas à falta de profissionais, insumos e medicamentos.

Segundo a denúncia recebida pela Defensoria Pública do Estado, nos últimos 30 dias, pelo menos três mortes poderiam ter sido evitadas, caso não houvesse o desabastecimento. A Secretaria de Saúde contestou a suspeita, dizendo que “está trabalhando para manter as unidades hospitalares abastecidas, para tanto realizou mais de 400 processos licitatórios em 2018 para compra de materiais, medicamentos, órtese, próteses e materiais especiais”.

A vistoria foi feita pelo coordenador do Núcleo Especializado de Defesa da Saúde (Nusa), defensor público Arthur Luiz Pádua Marques, e pela promotora de Justiça Maria Roseli Pery, e acompanhada pelo delegado Cassiano Ribeiro Oyama e pelo presidente do CRM, o médico Jorge Guardiola.

Segundo a Secretaria de Saúde do Tocantins, os fornecedores de medicamentos para as unidades da rede pública estão dentro do prazo legal para a entrega de produtos. 

Post Anterior

Governo reconduz oito delegados regionais: confira os nomes publicados no Diário Oficial

Próximo Post

Polícia Civil faz operação em prefeitura do interior: saiba onde é e qual motivo