0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

⟳ Atualizada em: 05/08/2022 11:38

O presidente Jair Bolsonaro (PL) reconsiderou as regras da Rede Globo e irá aos estúdios do Rio de Janeiro ser sabatinado pelo “Jornal Nacional”.

Depois de condicionar sua participação à realização no Palácio da Alvorada, em Brasília, e ser contrariado pela emissora, Bolsonaro topou ir até o estúdio do telejornal para a entrevista na bancada.

A Rede Globo anunciou nessa 5ª feira (4.ago) que entrevistará os candidatos à Presidência da República ao vivo na semana de 22 de agosto, na bancada do “Jornal Nacional”. Luiz Inácio Lula da Silva (PT), Ciro Gomes (PDT) e Simone Tebet (MDB) confirmaram presença.

Os 5 candidatos mais bem colocados na pesquisa Datafolha de 28 de julho foram convidados. São eles: Lula, Bolsonaro, Ciro Gomes, Tebet e André Janones (Avante) que retirou a candidatura na 5ª feira (4.ago).

Em 2014, o “Jornal Nacional” entrevistou a então presidente Dilma Rousseff (PT), no Palácio da Alvorada. A emissora diz que “depois das eleições de 2014, porém, decidiu que sempre realizaria as entrevistas de todos os candidatos à Presidência da República em seus estúdios, de forma a demonstrar que todos os candidatos são tratados em igualdade de condições.”

No início da entrevista com a petista em 2014, o âncora e editor-chefe do “Jornal Nacional”, William Bonner, disse:  “É por isso que nós estamos hoje aqui em Brasília, no Palácio da Alvorada, porque é aqui que nós fazemos as entrevistas com presidentes candidatos a reeleição”.

O senador Flávio Bolsonaro (PL-RJ) havia anunciado em seu perfil no Twitter que o seu pai participaria da sabatina do JN em 22 de agosto, diretamente do Alvorada.

A ordem das entrevistas foi definida em 1º de agosto, em um sorteio com a presença de representantes dos partidos. O prazo final para confirmação da participação terminou na 5ª feira (4.ago). Segundo a emissora, as datas das sabatinas serão divulgadas “em breve”.

O tempo de duração das conversas com os candidatos será de 40 minutos. Os âncoras William Bonner e Renata Vasconcellos vão conduzir as entrevistas individuais.

Apesar de ainda não ter confirmado presença nos debates entre candidatos à Presidência, Bolsonaro afirmou que, se Lula fosse, ele também iria. “Eu fecho agora, se o Lula for, eu vou junto com ele”, disse o chefe do Executivo a apoiadores em Foz do Iguaçu, no Paraná, em junho.

 

Post Anterior

Pequenos negócios geram 72% das vagas de emprego no primeiro semestre

Próximo Post

Jair Bolsonaro, um presidente no metaverso

Sem comentários

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.