0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

⟳ Atualizada em: 21/03/2020 19:44

Por Marcos Milhomens
Publicitário

Inspirado logicamente no imortal e Nobel de Literatura Gabriel Garcia Márquez , escrevo aos confinados. Aos que foram surpreendidos pelo porvir do mais angustiante isolamento. Século XXI e o efeito catatônico de um vírus devastador. Talvez nem compreendamos ainda o impacto social que o coronavírus nos trará.

Se tivermos nosso sistema de saúde colapsado com falta de medicamento e leitos hospitalares. Milhões de trabalhadores sem renda. Sem trabalho. Comércio fechado. Será o prelúdio do caos. Da tragédia. Imprescindivelmente, precisamos compreender a gravidade deste processo.

O Primeiro-ministro do Reino Unido à época da segunda grande guerra, Winston Churchill, falava que “Se você tiver atravessando o inferno, não pare”. Penso que devemos seguir com esta mesma convicção!
Por que não tenhamos dúvida: vamos atravessar o inferno.

Paradoxalmente, qual a lição de humanidade que toda esta tragédia nos ensina?
Amar o próximo como a nós mesmos é possível?
Agora, não é mais ser ou não possível, é necessário!
É uma questão de sobrevivência.

É preciso se isolar socialmente, mas sem perder a humanidade aos que por inúmeros motivos não tem condições de se isolar.
Vivemos como se estivéssemos ambientados em algum filme hollywoodiano de catástrofe sem precedentes, um filme de ficção científica na vida real. A diferença é que não sabemos qual o final deste roteiro.

Post Anterior

Coronavírus: prevenção, sintomas e o mapa atualizado da covid-19

Próximo Post

UFT suspende aplicação de provas do vestibular e do processo seletivo EaD