0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

⟳ Atualizada em: 02/09/2019 16:08

“Na reunião, os governadores apresentaram uma série de ações estruturantes que há tempos necessitavam ser feitas, a fim de incentivar a produção e fortalecer a proteção do meio ambiente. Esse equilíbrio é importantíssimo”, afirmou Lorenzoni. Entre os ministros participantes estão o da Agricultura, Tereza Cristina, e do Meio Ambiente, Ricardo Salles.

O governador do Pará, Helder Barbalho, foi o primeiro a explanar sobre a realidade na Amazônia e o plano síntese de ações para o desenvolvimento sustentável do Estado. Foram apresentadas seis ações imediatas e estruturantes para a região. “Precisamos agir para não viver futuramente com essa realidade. O que acontece em 2019 se difere pela ampliação dos registros, porém não é possível afirmar que os incêndios e as queimadas na Amazônia tenham começado esse ano”, pontuou.

O governador do Estado do Tocantins, Mauro Carlesse, cumpre agenda oficial em Belém-PA nesta segunda-feira, 2, a convite do Governo Federal e do governador do Pará, Helder Barbalho, para uma nova reunião, agora com cinco ministros de Estado, para discutir o combate aos incêndios, o desmatamento ilegal e também alternativas de desenvolvimento sustentável na Amazônia Legal.

Em sua fala, o governador Mauro Carlesse defendeu a educação ambiental para jovens e crianças como a principal alternativa visando à preservação das florestas e do cerrado no futuro. De acordo com o Governador do Tocantins, a falta de conhecimento leva tanto os moradores da zona rural, como também o cidadão urbano, a agir de forma inadequada com o meio em que vive.

O governador Mauro Carlesse  defendeu a implantação de uma política que eduque as novas gerações, criando uma consciência coletiva voltada à proteção da fauna e flora – Foto: Agência Pará;

O Governador tocantinense defendeu a implantação de uma política que eduque as novas gerações, criando uma consciência coletiva voltada à proteção da fauna e flora. “Ou fazemos isso ou seguiremos gastando milhões no combate às queimadas e não vamos atingir um resultado positivo”, afirmou.

Como alternativa de conscientização das novas gerações, o governador Mauro Carlesse apresentou aos demais governadores e ministros o programa Pioneiros Pátria Amada. Na proposta do governador Carlesse, inicialmente o programa deve atender cerca de 25 mil crianças nos 139 municípios, visando o complemento da atividade escolar e tendo como principal foco a educação ambiental e o ensinamento de práticas sustentáveis de manejo, visando formar um cidadão consciente e ativo na preservação. “Parte do Fundo da Amazônia pode ser utilizado diretamente para financiar esse programa que poderá ser ampliado para os demais Estados”, propôs o governador Carlesse, que também entregou cópia do projeto aos demais governadores e ministros.

Entre as ações apresentadas estão:

– Definição de áreas prioritárias para prevenção e controle de crimes ambientais: BR-163 (Novo Progresso e Altamira) , Xingu (BR-230) e Xingu ATM/SFX. As três regiões compõem mais de 90% dos focos de queimadas;

– Criação de polos de justiça agroambiental integrada, para que os crimes ambientais sejam punidos;

– Criação da sala de situação para emergências ambientais na Amazônia legal;

– Organizar um fluxo de informações em tempo real;

– Monitorar e dar resolutividade;

– Identificar e legalizar a questão fundiária;

– Fortalecimento do Fundo Amazônia e execução das ações planejadas.

“Esses são pontos centrais que podem potencializar o agronegócio e, ao mesmo tempo, impedir o crescimento desordenado e ilegal na Amazônia”, acrescentou o governador do Pará.

Presentes 

Cinco ministros estão presentes nesta reunião em Belém: Onyx Lorenzoni (Casa Civil); Ricardo Salles (Meio Ambiente); Fernando Azevedo (Defesa); Tereza Cristina (Agricultura, Pecuária e Abastecimento); Jorge Oliveira (Secretaria Geral da Presidência da República). Além do anfitrião Hélder Barbalho, governador do Pará, e do governador do Tocantins, Mauro Carlesse, também estão presentes o governador do Mato Grosso, Mauro Mendes; o governador do Amapá, Waldez Góes, que também é presidente do consórcio interestadual da Amazônia Legal; e o vice-governador do Maranhão, Carlos Brandão.

 

 

Post Anterior

Bancos não podem deixar de atender presencialmente

Próximo Post

Sem trégua; Bombeiros militares controlam fogo no Vale do Vai quem Quer, em Taquaruçu e hoje esta sendo a vez do Parque Cesamar

Sem comentários

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *