0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

⟳ Atualizada em: 01/07/2022 14:35

Na quinta parada da Rota da Pecuária, na tarde desta quinta-feira, 30, na Fazenda Boa Fortuna, localizada no município de Pium, agropecuaristas e parceiros destacaram a importância da Rota da Pecuária para o desenvolvimento da pecuária tocantinense. A fazenda abate anualmente 20 mil cabeças de gado, criados no sistema ciclo completo (cria, recria e engorda), exporta 100% da carne para a China, empregando 90 funcionários.

Para o coordenador de agronegócio do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), José Daniel Tavares, a Rota da Pecuária é uma iniciativa louvável do Governo do Estado para o incentivo a pecuária tocantinense. “Isso possibilita ao produtor agregar e aumentar a produtividade no agronegócio. O Sebrae é parceiro da Secretaria da Agricultura no programa Mais Genética, levando novas tecnologias para o produtor, visando alta produção no campo”, destacou.

Para o Diretor da Fazenda Boa Fortuna, Ronaldo Rabelo,  que trabalha na fazenda deste o início da implantação das tecnologias, chegada do pivô e o confinamento,  possibilitou triplicar a capacidade de produção  da fazenda. “E a Rota da Pecuária vem  fortalecer ainda mais, mostrando e apresentando novas tecnologias para o incremento da agropecuária”, ressaltou.

De acordo com a coordenadora comercial da empresa Frísia, Erica Lima, essa é uma ação que mostra na prática, a realidade que temos de tecnologia e inovação. “É muito importante o produtor estar inserido nesta iniciativa. E a Frísia não poderia estar de fora, estamos consolidados e, em breve, investiremos na pecuária de corte”, disse.

A agropecuarista  da região do Bico do Papagaio, Maria Vilela, uma das pecuaristas que acompanha as atividades de campo, explicou. “Vim participar deste projeto pecuarista muito importante. Aqui estamos vendo tecnologia simples e superavançadas, ou seja, descobrindo uma nova pecuária aqui no Tocantins”, detalhou.

Já a proprietária das fazendas Trevo, Inara Mota Machado, que utiliza o sistema de produção Integração Lavoura Pecuária (ILP), “essa ação da Secretaria da Agricultura  de incentivar aos produtores, motiva ainda mais, a buscar a inovação tecnológica e estruturação da fazenda  para aumentar a produtividade no campo”.

Post Anterior

Datafolha: Mais de 55% dos paulistas não votam em Bolsonaro

Próximo Post

Produtores rurais do Tocantins discutem os benefícios do plantio da mamona na descompactação do solo e no combate a nematoide, como opção de plantio para a safrinha