0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

⟳ Atualizada em: 23/03/2021 15:51

Os trabalhos de manutenção na TO-040, entre Almas e Pindomara do Tocantins, seguem sendo realizados, durante essa semana, assim como em outros trechos de rodovias da região sudeste do Estado. A Agência Tocantinense de Transportes e Obras (Ageto), está intensificando as intervenções, visando manter a trafegabilidade diante do impacto das fortes chuvas na malha viária.

Os serviços de patrolamento e recuperação de pontos críticos no trecho de 95 km da TO-040 está sendo realizado desde fevereiro e as equipes da Residência Rodoviária de Dianópolis seguem com os trabalhos . As fortes chuvas acabam dificultando o avanço da execução dos serviços no trecho. Até o momento, 32 km do trecho já receberam intervenções das equipes. 

Em outros dois trechos da região sudeste, as equipes da unidade de Dianópolis estão realizando o serviço de tapa-buracos. Na TO-280, entre Almas e Natividade, a execução da manutenção no trecho, de 76 km, segue sendo realizada desde o dia 15 deste mês. Já no trecho da TO-050, entre Silvanópolis e Porto Nacional, de 56 km, o serviço foi iniciado no dia 8 de março e já está com 30 km executados.

A TO-247, no trecho que liga Lagoa do Tocantins a TO-030, recebeu o trabalho de melhoria no traçado de acesso à ponte sobre o córrego Rio Vermelho. “Tem um bueiro que toda vez que chove, ele rompe e leva parte do aterro. Como solução, fizemos um novo traçado na estrada, um desvio a 2.300 metros da antiga passagem, que sai bem em cima da ponte do Rio Vermelho”,  explica o coordenador de Dianópolis, Leandro Araújo. O trecho dá acesso ao Jalapão.

A secretária de Infraestrutura e presidente da Ageto, Juliana Passarin, reforça que as equipes das residências da Ageto estão intensificando os trabalhos de manutenção para garantir a trafegabilidade aos usuários. “Nossas equipes estão fazendo a manutenção periódica para manter as rodovias estaduais nas melhores condições possíveis”, reforça.

Post Anterior

Investimento em aviação regional deve chegar a R$ 1 bilhão em 2 anos

Próximo Post

Facebook é acusado de não evitar falsidades e mensagens de ódio