0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

⟳ Atualizada em: 08/01/2019 10:40

O Governo do Estado, por meio da Agência Tocantinense de Transportes e Obras (Ageto), respondeu à solicitação do Portal Orla Notícias sobre reparos na ponte sobre o lago entre Palmas/Luzimangues/Paraíso. A Ponte da Amizade e da Integração Presidente Fernando Henrique Cardoso, foi inaugurada em 2002, depois de quatro anos de construção e neste período só passou por reparos pontuais. 

A nota da Ageto garante que “existe um projeto para revitalização da Ponte Fernando Henrique Cardoso e o processo administrativo para a sua viabilização está em desenvolvimento”. No entanto, o governo disse ainda que “não há como precisar data para início” desta revitalização. 

Quem atravessa a ponte Palmas/Luzimangues/Paraíso, sobre o lago do reservatório da Usina Luiz Eduardo Magalhães (UHE Lajeado), na capital, observa que a vegetação, ao longo do aterro do reservatório, que tem mais de oito quilômetros de extensão, está cada dia mais alto, atrapalhando especialmente quem percorre o trecho de bicicleta e à pé, como atletas e trabalhadores.

Aterro da ponte sobre lago em Palmas com mato alto. Foto: Jocyelma Santana/Orla Notícias

O Portal Orla Notícias constatou outras situações que cobram manutenção. A ponte principal, que tem um quilômetro de extensão, não tem placa de identificação nas proximidades do Distrito de Luzimangues, falta também pintura nas grades e recapeamento da pista.

Sem placas de identificação na entrada e na saída da ponte principal, grades e muretas de proteção exigem pintura . Foto: Jocyelma Santana/Orla Notícias

A falta de manutenção também é evidente nas proximidades das outras duas pontes menores, ambas com 100 metros de extensão. Sérgio Henrique Lopes, presidente da Federação Tocantinense de Triathlon, reclama da condição do asfalto, que já apresenta buracos e ondulações. Mas além disso, Lopes também cobra iluminação, que sofre constantemente com os furtos dos fios de cobre. A pista do aterro é usada, com muita frequência, por grupos de pedal de Palmas.  

Mato em toda a extensão do aterro. Foto: Jocyelma Santana/Orla Notícias

No restante do aterro, há mato alto nas duas laterais. As muretas de proteção desapareceram em alguns trechos ou apresentam sinais de que foram atingidas por veículos que se envolveram em acidentes e não foram consertadas.

Cartão postal de Palmas, ponte sobre o lago, não tem placas mas sobra mato alto nas laterais

Post Anterior

Comprou e não levou: Consumidor é indenizado por danos morais após ser vítima de golpe na internet

Próximo Post

Crônica: Teoria do macarrão - Por Savick Brenna