0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

⟳ Atualizada em: 17/03/2022 17:39

A capacidade de geração de painéis solares instalados nos telhados residenciais em Palmas teve um crescimento no ano passado de mais de 50%, se comparado ao ano de 2020, que já apresentava mais de 150% de crescimento relativo a 2019. Os dados são da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).  O crescimento foi impulsionado pelos constantes reajustes na conta de energia elétrica

Em 2021 a geração de energia própria pelas placas instaladas nos quase dois mil imóveis residenciais representou 13.502,04 KW (quilowatts). Um salto comparado aos 8.600,62 KW das instalações em 1.718 residências de 2021. No ano de 2019, antes da pandemia, foram 637 novas gerações de energia solar em Palmas que representou 4.272,80 KW.

Segundo o secretário de Assuntos Estratégicos, Captação de Recursos e Energias Sustentáveis, Thiago Dourado, a projeção é que tanto a capacidade de geração como a adesão para esse tipo de energia renovável cresça em 2022. “Esse crescimento será impulsionado principalmente pelos constantes reajustes na tarifa de energia e pela aprovação da Lei Nº 14.300/2022, que regula sobre o Marco Legal da Geração Distribuída publicada em janeiro deste ano”.

Antes quem instalava painéis fotovoltaicos em casa ficava isento da taxação sobre a distribuição de energia, o que contribuía para a grande economia obtida na conta de luz. A partir do ano que vem quem adota o sistema fotovoltaico haverá redução na economia na conta de energia, uma vez que a lei institui a cobrança dos custos de distribuição de energia para quem gera a própria energia solar por meio de um sistema on grid, aquele que é conectado à rede de distribuição de energia.

Mas isso não quer dizer que a adoção de energia solar em casa perderá a atratividade. O marco legal também estabelece que todos que tinham instalado o sistema em casa antes da sua publicação ou quem o instalar dentro de um prazo de 12 meses a partir da publicação da Lei continuam isentos da cobrança até 2045.

Para o secretário, mesmo com a tributação ainda será vantajoso para o consumidor produzir sua própria energia, uma vez que a tarifa de energia elétrica só tenderá a aumentar nos próximos anos.

A oportunidade é agora, para todos que queiram ter acesso a distribuição de maneira gratuita. Pois a partir do próximo ano, todos terão que pagar pela transmissão e distribuição da energia gerada.

Projeção é que tanto a capacidade de geração como a adesão para esse tipo de energia renovável cresça em 2022

 

Post Anterior

IBGE divulga dados do teste do Censo e aponta crescimento de 18,6% na população de Lajeado

Próximo Post

Bolsonaro reúne ministros e dará a largada em troca ampla no governo