0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

⟳ Atualizada em: 04/07/2019 09:00

Silenciosas e escondidas na areia, as arraias são animais peçonhentos que possuem ferrão serrilhado na cauda e quando se sentem ameaçadas ou são pisadas, projetam a cauda na pele da pessoa causando lesões puntiformes, lacerantes e muitas vezes profundas.

Segundo o Sistema de Informação de Agravos de Notificação do Tocantins, no ano de 2017 foram registrados 405 acidentes com arraias e no ano de 2018 o total foi de 422. Cerca de 40% dos casos foram registrados entre os meses de junho e agosto.

A Secretaria de Estado da Saúde (SES-TO), faz um alerta à população no período de alta temporada nas praias tocantinenses. “A entrada do ferrão serrilhado na pele por si só já provoca danos extensos e dolorosos, somando-se a possibilidade de pedaços deste permanecerem na pele, podendo gerar graves acidentes com a presença de dor, sangramento local, bordas do ferimento cianóticas, linfangites, reação ganglionar, abscesso, necrose e infecção secundária”, apontou a assessora de Zoonoses e Animais Peçonhentos da SES, Iza Alencar Sampaio de Oliveira.

Foto: Divulgação.

Ainda segundo a secretaria, as equipe municipais de vigilância em saúde devem realizar ações educativas quanto à prevenção de acidentes nos locais de praias ou onde estes animais costumam ser vistos no município. A pessoa acidentada deve buscar imediatamente a unidade de saúde mais próxima. “E como medida de prevenção deve ser recomendado ao andar dentro da água, tatear o caminho com um pedaço de madeira e arrastar os pés no chão cuidadosamente”, finalizou.

Post Anterior

Cardoso é alvo de bolo velas

Próximo Post

Palmas Burguer invade a Graciosa e movimenta a capital