Home»Destaque»300 anos de fé e devoção por Nossa Senhora: fiéis tocantinenses contam suas relações com a santa

300 anos de fé e devoção por Nossa Senhora: fiéis tocantinenses contam suas relações com a santa

Atualizada em: 11/10/2017 11:53

0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

Há trezentos anos, a imagem de Nossa Senhora Aparecida foi descoberta por pescadores no Rio Paraíba do Sul. Desde 1717, a imagem da Santa é um símbolo poderoso de fé, devoção e amor por parte de seus fiéis e sua figura representa a Mãe da imensa bondade. Não são apenas os católicos que veneram Nossa Senhora de Aparecida, a santa também é sagrada nas religiões de matriz africana.

“Maria que nos escolhe, nós não escolhemos Maria.”

A tocantinense Ana Luísa Soares, missionária de 20 anos, conta a sua história com a padroeira do Brasil: “Eu nasci numa família católica, então desde muito pequena eu já tive esse grande contato com Nossa Senhora. Através de imagens, de orações de terço, de orações da Ave Maria… Desde pequena eu fui ensinada e já tive essa aproximação e agora na minha juventude experimento e posso tocar muito mais na presença de Maria comigo.”, relata a jovem.

A jovem e sua mãe, que também é devota de Nossa Senhora Aparecida. Foto: Arquivo Pessoal

Ana teve sua primeira grande experiência com a figura de Nossa Senhora Aparecida ainda bem cedo. Quando tinha seis anos, sua mãe estava grávida do filho caçula e acabou tendo alguns problemas no parto. A jovem acredita que foi a fé em Nossa Senhora que a salvou: “Minha mãe estava muito doente e na UTI. Recorri muito a Maria, fazia orações diárias. A minha avó fez uma promessa à Nossa Senhora, então esse foi meu primeiro momento de devoção, em 2004.”

Assim como em vários aspectos da vida – social, profissional, acadêmico -, alguns conhecimentos precisam ser treinados e aperfeiçoados. No caminho da fé, não é diferente. Em 2016, Ana passou por um processo chamado Vocacional em sua comunidade religiosa, onde são trilhados os percursos para que o fiel possa se encontrar na igreja e para que descubra sua missão.

Ana e outros jovens fiéis da comunidade religiosa que faz parte. Foto: Arquivo pessoal.

Nesse caminho, Maria a ajudou a reconhecer seu carisma: “Durante esse processo, Maria foi extremamente importante, pois muitas vezes eu olhei para a vida de Maria, olhei a sua decisão, seu sim a Deus diante das dores que ela passou. Pude olhar para sua história, fé, confiança e serviço. Pude absorver um grande exemplo. Ela nos escolhe para nos cuidar, nos presentear, nos dar graças, no ensinar a amar cada dia mais Jesus. Essa é a importância de Maria na minha vida. Recorro através de orações, do terço e tenho certeza que Maria caminha comigo e com todos nós. Maria é uma grande intercessora que nos escolhe, nós não escolhemos Maria.”

“Tudo que faço, peço antes a intercessão dela.”

Vilma Maria mora no Tocantins, tem 53 anos e é devota de Nossa Senhora Aparecida desde os três. Ela conta como foi a sua primeira proximidade com Nossa Senhora, em que acredita ter vivido um milagre: “Quando ainda tinha três anos, fui queimada com gordura quente. Uma lata de 18 quilos virou em cima de mim. Fiquei enrolada na folha de bananeira pois tive queimaduras de terceiro grau. Na época, minha mãe fez promessa pra Nossa Senhora e as queimaduras secaram sem deixar marcas.”

Esse não foi a única graça de Nossa Senhora na família de Vilma: “Meu irmão nasceu com hidrocefalia há cinquenta anos atrás, fez sete cirurgias para correção. Os médicos não davam esperança nenhuma de vida até cinco anos e ele andava na cadeira de rodas. Minha mãe fez uma promessa pra Nossa Senhora e antes dos seis anos ele já andava e está vivo até hoje com as graças de Deus e a intercessão de Nossa Senhora Aparecida.”

A relação dos fieis com Nossa Senhora Aparecida é bastante íntima, fundidas por um laço invisível que é a fé e a confiança: “Ela para mim é tudo. Minha amiga, companheira, advogada, intercessora. Tudo que faço peço antes a intercessão dela.”.

Celebrações em Palmas

Em Palmas, diversas paróquias estão celebrando o Dia de Nossa Senhora. Na Arquidiocese de Palmas, a Paróquia Nossa Senhora Aparecida, em Taquaralto, é a responsável por centralizar solenemente a festa em louvor à Santa. A comunidade está em festejo desde o último dia 03. No dia 12, a solenidade terá início a partir das 19h.

Outras paróquias também celebrarão missas em louvor à Nossa Senhora. Confira:

Na Catedral Metropolitana de Palmas, acontece missa às 8h, às 15h para as crianças e às 18h30.

A Paróquia Santa Teresinha do Menino Jesus, realiza Missa na Comunidade Maria Madalena Postel, na 404 Norte, às 19h30.

Na Paróquia Nossa Senhora Aparecida, em Aparecida do Rio Negro, as atividades iniciam-se a partir das 18h com Procissão Luminosa, saída da Praça da Bíblia, até a igreja onde acontece a Santa Missa.

Já na Paróquia Mãe Rainha, a solenidade ocorre dentro da programação da Novena e Festejo, a partir das 19h, na 1103 Sul.

Integrando a programação do 2° Cerco de Jericó, a Paróquia São Judas Tadeu, celebra a missa às 9h.

Em Tocantínia, a Paróquia São Sebastião abre suas portas para a missa às 19h.

Na 307 Norte, a Paróquia Jesus de Nazaré realiza missa na comunidade São Pedro, a partir das 19h30.

Na São José, Matriz de Palmas, 604 Sul, acontece a oração do terço Mariano às 19h e Missa às 19h30.

No Jardim Aureny IV, a Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro realiza missa às 8h seguida de atividade comemorativa alusiva ao Dia das Crianças no galpao da igreja.

A Paróquia Cristo Rei realiza missa na Comunidade Nossa Senhora Aparecida às 8hs, na 405 norte.

Na Paróquia Imaculado Coração de Maria, Jardim Taquari a Missa de Nossa Senhora Aparecida acontece às 7h30.

Por Juliana Saraiva

Post Anterior

Polícia Civil apreende explosivos que seriam utilizados em roubo a banco

Próximo Post

Sesc realiza sétima Feira de Troca de Livros e Gibis